Tauillo pede apoio de todos contra pandemia para não fechar o comércio

Durante uma live no final da tarde desta segunda-feira, o prefeito Tauillo Tezelli (Cidadania) disse que precisa do apoio de toda a população quanto as medidas preventivas ao coronavírus, para que o comércio seja mantido em funcionamento.

Caso contrário, disse que terá que tomar medidas duras, não descartando novamente o fechamento do comércio. No entanto, mesmo com todas as recomendações e portarias do município, inclusive com toque de recolher, as equipes de fiscalização não param de receber denúncias de festas particulares e aglomeração de pessoas pela cidade.

“Sempre pedimos a colaboração de todos para que mantenham o isolamento social, tomando as medidas preventivas para ter o número mínimo de pessoas internadas. Se isso não acontecer, infelizmente o comércio terá que ser fechado novamente. Passamos praticamente dois meses orientando, e agora a fiscalização tem multado e fechado estabelecimentos que não respeitam o decreto”, disse Tezelli.

A decisão sobre o comércio, conforme o prefeito, passa a depender da quantidade de pessoas contaminadas e que dependam da internação hospitalar. “Se houver a colaboração da cidade, sairemos mais cedo dessa situação, por isso o pedido para que fiquem em casa, se possível, não levem crianças a mercado, usem álcool em gel e evitem aglomeração. Cada um de nós é responsável pela nossa vida e de nossa família”, reforçou.

Durante a live, com a participação do secretário de Saúde, Sérgio Henrique dos Santos e do presidente da Santa Casa, Pedro Baer, foram apresentados também os recursos repassados a Campo Mourão. São R$ 9,2 milhões de investimento, sendo que R$ 4,7 milhões já foram repassados.

Tezelli ainda rebateu críticas que a administração recebe por meio de redes sociais sobre o atendimento da saúde no combate ao coronavírus. Um quadro foi mostrado sobre a destinação do dinheiro e o prefeito afirmou que tudo está disponível no site da prefeitura.

“É só acompanhar no site da prefeitura, no portal da transparência, mas não façam colocações absurdas, dizendo que o município poderia ter resolvido situações que não podemos resolver. Temos feito tudo o que é possível para oferecer o melhor atendimento a todos”, declarou.

UTI LOTADA

Sobre a lotação na UTI-SUS, o secretário de Saúde disse que em caso de emergência, os pacientes de Campo Mourão serão transferidos para outras cidades da macrorregional.

“Se falta leito em Campo Mourão, tem os leitos para retaguarda em outras cidades, como Goioerê, Umuarama, Cianorte, Maringá e outras da macrorregional. Nenhum paciente ficou sem o respirador até o momento”, afirmou Santos.