Infestação do mosquito da dengue cai ainda mais: 0,19 por cento

Levantamento Rápido de Índice (LIRA) realizado nesta semana pela Secretaria Municipal de Saúde, aponta que o índice de infestação do mosquito Aedes aegypti está em 0,19 por cento (abaixo de 1 por cento conforme preconizado pelo Ministério da Saúde). Apenas nos jardins Modelo, Flórida e Araucária (Botânico) foram encontrados focos do mosquito.

Das 43 localidades averiguadas, em 40 o índice de infestação foi zero. Foram pesquisados 1.615 imóveis e em apenas três foram encontradas larvas. O chefe do Departamento de Vigilância em Saúde, Carlos Bezerra, ressalta que esse levantamento foi realizado em todo o Brasil por orientação do Ministério da Saúde. “O objetivo é identificar onde há maior incidência do vetor”, explica, ao lembrar que o Lira realizado no mês passado apontou 0,52 por cento de infestação.

“Podemos considerar esse resultado excelente. É o melhor índice desde 2013. Mas para manter esse quadro favorável é preciso lembrar que cada um é responsável por seu imóvel e continuarmos atentos com recipientes que podem acumular água, especialmente nesse período de temperaturas altas”, enfatiza Bezerra.

Para ele, o longo período de estiagem, o fato das pessoas estarem mais em casa por conta da pandemia e o trabalho de campo permanente dos agentes de endemias são fatores que contribuíram para a redução da dengue.  “Mesmo com números favoráveis, o trabalho de campo dos agentes de endemias continua”, observa.

Os três imóveis onde foram encontrados focos são residências. O lixo nos quintais e piscinas (tambores e lonas) continua sendo os maiores hospedeiros de focos (34%), seguidos de árvores ocas e minas (32%).