Sargento Fahur vê governador e presidente no caminho certo e fala em apoio a CM

Sargento Fahur sobre o mandato: “Foi um excelente começo, principalmente de muito aprendizado.” – Foto: Clodoaldo Bonete/Tasabendo.com

Ele foi policial “linha dura” em Campo Mourão entre 1990 a 1995, mas depois que aposentou a farda não quis saber de ficar parado. Candidatou-se a deputado federal em 2018 e foi eleito, sendo o mais votado no Paraná, com 314.963 votos.

Gilson Cardoso Fahur (PSD), mais conhecido como Sargento Fahur, é apoiador declarado do governo Bolsonaro e conhecido nas redes sociais pela intolerância com bandidos. “Sou defensor da pena de morte e continuo trabalhando para endurecer a pena de quem é bandido”, não hesita em falar.

Nesta terça-feira ele esteve em Campo Mourão e concedeu entrevista ao Tasabendo.com na sede do Sindicato Rural. Iniciou a conversa fazendo um balanço positivo do primeiro ano de seu mandato na Câmara dos Deputados.

“Foi um excelente começo, principalmente de muito aprendizado, pois cai em um lugar que não é a minha praia, mas a nossa experiência de vida, aliada com a boa vontade de pessoas firmes ao nosso lado, foi importante nesse início de mandato. A gente não é bobo. Fui me aproximando de pessoas de bem, principalmente alguns deputados que vieram na onda Bolsonaro, entre eles policiais militares, policiais federais e isso contribuiu muito para que pudesse desenvolver um bom trabalho, principalmente para tornar mais difícil a vida de criminosos, em benefício das pessoas de bem”, afirma.

No meio político, Fahur já reconhece quem luta em benefício do país e quem atua para “atrapalhar” o governo. “Estou tentando fazer a diferença, mas sabemos que tem o grupo que quanto pior melhor, torcendo para o Bolsonraro erre, que o Brasil não dê certo para que eles possam voltar a tomar o poder, roubando e permitindo que se roube”, dispara.

Fahur admite ser da base do governo Bolsonaro, admirador e amigo do presidente, mas garante que não o apoia em todas as suas decisões. “Sempre digo que vou analisar individualmente cada situação. Aquilo que não concordo, eu vou falar para o presidente que sou contra, principalmente projetos que prejudicam os menos favorecidos”, explica.

CAMPO MOURÃO

Por ter sido lotado no 11º Batalhão da Polícia Militar de Campo Mourão por cinco anos, sargento Fahur é bastante conhecido na cidade. Tanto que alcançou a segunda maior votação nas eleições de 2018, com 4.488 votos.

Na passagem que fez pela cidade, nesta terça, ele fez questão, inclusive de visitar uma família de amigos, no Lar Paraná. “Hoje a criança que corria atrás da viatura na década de 90, chamando pelo sargento Fahur, tem mais de 30 anos e um filho”, conta ele, parecendo não acreditar que o tempo passou tão depressa. “Parece que eu ainda ia encontrar aquele menino da época”, brinca.

A expressiva votação que fez em Campo Mourão, ele promete retribuir em benefícios à população, com verbas do governo federal, principalmente nas áreas de segurança pública e saúde. “Projetos de nível nacional que defendo em favor da segurança pública já beneficiam Campo Mourão, mas paralelamente a isso trabalho em pautas exclusivas pela cidade. Já destinei verbas federais para a Santa Casa e pode ter certeza de que todas as verbas que tiver acesso, uma parcela vem para Campo Mourão. Podem me cobrar porque isso não é promessa de político, mas compromisso de uma pessoa séria”

RATINJHO JUNIOR

Por fim, Fahur fez uma avaliação positiva do governador Ratinho Junior. Entende que apesar das dificuldades nesse primeiro ano de mandato, Ratinho tem tudo para fazer um bom trabalho pelo Paraná.

“Acredito que o Ratinho foi bem nesse primeiro ano de governo, mesmo com toda dificuldade que é normal num início de mandato. Claro que o Paraná tem graves problemas com rodovias mal conservadas, por exemplo, mas sabemos como o Beto Richa deixou o Estado. O Ratinho é ciente do que precisa ser feito e tenho certeza de que ele será um grande governador. Mas lógico que o povo precisa cobrar dos governantes e não tratá-los como se fossem artistas de cinema.”