Comissão Especial da Saúde é aprovada na Câmara de CM

Foto: Assessoria de Comunicação/Câmara de Vereadores

Por seis votos favoráveis e cinco contra – os vereadores da Câmara de Campo Mourão – aprovaram na última sessão ordinária do Legislativo, um requerimento de urgência, de autoria do vereador Marcio Berbet, criando uma Comissão Especial de Saúde para avaliar a situação da Saúde na Santa Casa e nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

“Todos nós estamos recebendo reclamações dos atendimentos nas Upas, e a questão da maternidade da Santa Casa, nos preocupa. O intuito da Comissão é de ajudar a resolver o problema, mas precisamos saber qual é o problema. Formando a Comissão poderemos nos fixar em estudos para levantar a problemática e ajudar a resolver”, comentou Berbet.

A Comissão Especial – composta por três vereadores escolhidos seguindo o regimento interno da Câmara e terá duração até o final do mandato da legislatura em 2024 – terá, segundo Berbet, o objetivo de acompanhar o sistema de saúde do município, incluindo o recebimento, repasses e aplicações dos recursos, entre outros.

“Precisamos de informações técnicas para buscar uma solução aos problemas que vem sendo apresentados. As verbas de emendas passam por esta Casa de Leis e nós é que somos responsáveis em liberar esses recursos. É de nossa responsabilidade fiscalizar o bom uso do dinheiro público”, enfatizou.

Os vereadores Edilson Martins e Escrivão Parma, votaram contra a criação da Comissão e defenderam a cautela nos assuntos relacionados a Santa Casa. “Temos de fiscalizar sim, mas com tato. As pessoas que estão na Santa Casa, trabalham muito para manter a instituição aberta”, lembrou Parma. “Como a Câmara já tem uma Comissão Permanente de Saúde, acredito que criando outra, teremos limitações”, comentou Martins.

O vereador Toninho Machado, defendeu o diálogo antes da formação da Comissão. “Eu, minha família, amigos e conhecidos somos muito bem atendidos na Santa Casa, que tem sido uma mãe – trabalhando via SUS – socorrendo a população. Não sou contra a formação da Comissão, mas a princípio, como temos total acesso a Santa Casa, principalmente com a diretoria, poderíamos convocar os diretores para um diálogo, até para sentir como está a situação, e se fosse o caso, abriríamos a Comissão”, disse Machado.

A vereadora Naiany Hruschka Salvadori defendeu a criação da Comissão. “A posição que ocupamos como fiscalizadores dos serviços prestados aos moradores de Campo Mourão, nos leva a dar um retorno a população quando aparecem situações como essas de reclamações nos atendimentos na Saúde”, destacou Naiany.

Com o voto favorável a implantação da Comissão, o presidente da Câmara, Jadir Soares (Pepita), justificou a sua decisão. “Temos sim de formar e trabalhar em conjunto com a secretaria de Saúde, com a própria Santa Casa, para buscar informações e levar para a população. Faremos uma parceria. Essa notícia do fechamento da maternidade da Santa Casa em muito me preocupa”, disse Pepita.