Polícia Civil prende dois jovens com agrotóxico sem procedência

Foram apreendidos mais de 30 galões de cinco litros de agrotóxico falsificado – Foto: Divulgação/Polícia Civil

Dois jovens foram presos na manhã desta quinta-feira, enquanto transportavam uma grande quantidade de agrotóxico sem procedência em um veículo Ford Escort. A prisão em flagrante ocorreu nas proximidades da estação rodoviária de Campo Mourão, por volta das 10 horas.

Durante diligências, os policiais perceberam o veículo em atitude suspeita e fizeram a abordagem. Os rapazes confessaram que o produto tinha procedência irregular e informaram que a intenção era fazer a entrega em Pitanga.

O delegado-adjunto da 16ª Subdivisão Policial de Campo Mourão, João Paulo Menuzzo Lauandos disse que até o transporte estava todo irregular. “Para fazer o transporte de produtos perigosos, como agrotóxico, o motorista precisa ter uma autorização e o veículo também deve estar sinalizado, além de outros requisitos. Nada disso eles possuíam. O agrotóxico também pode ser falsificado, mas isso só a pericia pode concluir”, relatou o delegado.

Após encaminhar a dupla para a delegacia, juntamente com o veículo e a carga de agrotóxico, a Polícia Civil constatou, por meio de pesquisa junto ao site da Receita Federal, que a nota fiscal apresentada pelo motorista era falsa.

“Desde o início eles não souberam informar direito a procedência do produto. Ao fazer a checagem junto ao site da Receita Federal constatamos que a nota fiscal era realmente falsa. Ou seja, além de serem autuados por crime ambiental, pelo transporte irregular do agrotóxico, ainda vão responder por crime contra a ordem tributária”, disse Lauandos.

Ainda segundo o delegado, da parte da Polícia Civil não cabe fiança, ou seja, os dois permanecem presos. “Eles vão permanecer presos e a disposição da justiça, que poderá arbitrar ou não a fiança.” No total, foram apreendidos 32 galões de cinco litros de agrotóxicos e um pacote de cinco quilos.