Saúde fará caminhada ecológica no próximo sábado

Campo Mourão está com 38 casos confirmados de dengue e vários suspeitos em análise, inclusive de zika vírus. – Foto: Divulgação

A Secretaria Municipal de Saúde de Campo Mourão, através do Comitê Gestor da Dengue, vai realizar mais uma Caminhada Ecológica no próximo sábado (30), no período da manhã, em 11 localidades, que incluem vários bairros. A ação terá como pontos de referência os jardins Cidade Nova, Alvorada, Nossa Senhora Aparecida, Ipê 2, Araucária, Aeroporto, Parigot de Souza-Paulista, Isabel, Cohapar, Cidade Alta e centro. Cada localidade terá um ponto de encontro para a “largada”.

Além de agentes de endemias, a ação conta também com apoio da Unimed, Copel, Maçonaria, Secretaria Municipal de Educação e associações de Moradores dos jardins Araucária e Cidade Alta. Os grupos vão recolher em sacos plásticos materiais que acumulam água dispensados irregularmente em terrenos baldios, calçadas e espaços públicos.

“Todos os participantes devem usar repelentes, que será fornecido pela Secretaria. Precisamos da ajuda da população nesse trabalho, não só participando da caminhada para eliminar potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti como adquirindo o hábito de cuidar dos quintais e só jogar o lixo nos locais adequados para a coleta”, enfatiza a coordenadora de campo do Setor de Endemias, Marinalva Ferreira da Luz.

Campo Mourão está com 38 casos confirmados de dengue e vários suspeitos em análise, inclusive de zika vírus. Nesta sexta-feira (29) deverá ser concluído mais um Levantamento de Indice (LIRA), que vai mostrar os números da infestação em cada bairro. O último levantamento, realizado em janeiro, apontou 11,4 por cento de infestação, índice considerado alarmante em relação ao aceitável pelo Ministério da Saúde, que é abaixo de um por cento.

“Desde o ano passado, quando aumentaram os índices de infestação, reforçamos o alerta para a população tomar as providências para eliminar criadouros do mosquito e agora a atenção deve ser redobrada porque o risco de epidemia é alto”, adverte Marinalva, ao lembrar que além da dengue e zika vírus, o Aedes aegypti transmite outras doenças, como as febres amarela e chikungunya.