Campanha de Combate a Aids terá testes rápidos nas UBS neste sábado

No sábado, dia 30, as Unidades de Saúde estarão abertas no período da manhã, oferecendo testes rápidos de HIV para a população

“Sem camisinha você assume o risco de pegar uma IST”. Com esse apelo a Secretaria Municipal de Saúde de Campo Mourão vai participar do Dia Mundial de Luta contra a Aids, comemorado no próximo domingo, dia 1º de dezembro. No sábado, dia 30, as Unidades de Saúde estarão abertas no período da manhã, oferecendo testes rápidos de HIV para a população.

Este ano, segundo a enfermeira Ana Lúcia Cardoso, 37 pacientes foram atendidos no Serviço de Ambulatório Especializado (SAE) de Campo Mourão e outros 25 transferidos de outros municípios. “Desde a abertura do SAE, já foram cadastrados 627 pacientes e desses 327 estão em tratamento em Campo Mourão e região”, explica a enfermeira.

Ela ressalta que abrir mão do uso do preservativo nas relações expõe a pessoa e os parceiros com as quais ela se relaciona às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), incluindo o HIV – que não tem cura. Homens e mulheres apresentam sinas e sintomas distintos para as diferentes ISTs, como é o caso do HPV e da gonorreia. “Somente o diagnóstico pode assegurar se ocorreu a infecção, somente o tratamento pode levar à cura e somente a prevenção pode evitar que haja reinfecção”, acrescenta.

A campanha também é para divulgar uma medida de prevenção de IST chamada PEP (Profilaxia Pós-Exposição), que consiste no uso de medicamentos para reduzir o risco de adquirir essas infecções. Deve ser utilizada após qualquer situação em que exista risco de contágio, tais como violência sexual, relação sexual desprotegida, acidente ocupacional, como cortes ou contato direto com material biológico.

Segundo a enfermeira, a PEP é uma tecnologia inserida no conjunto de estratégias da Prevenção Combinada, cujo principal objetivo é ampliar as formas de intervenção para atender às necessidades e possibilidades de cada pessoa e evitar novas infecções pelo HIV, hepatites virais e outras IST. “Trata-se de uma urgência médica, que deve ser iniciada o mais rápido possível – preferencialmente nas primeiras duas horas após a exposição e no máximo em até 72 horas”, reforça a enfermeira.

A duração da PEP é de 28 dias e a pessoa deve ser acompanhada pela equipe de saúde. Recomenda-se avaliar todo paciente com exposição sexual de risco ao HIV para um eventual episódio de infecção aguda pelos vírus das hepatites A, B e C. A PEP é oferecida gratuitamente pelo SUS e pode ser encontrada no SAE (Avenida Guilherme de Paula Xavier, 1844, centro) e nos finais de semana na UPA 24 Horas.