Emenda proposta para reduzir salário de prefeito e vereadores é rejeitada

Poucas pessoas acompanharam a sessão e aplaudiram quem votou contra o aumento – Foto: Clodoaldo Bonete/Tasabendo.com

Como já era previsto, a sessão da Câmara de Vereadores para votação do projeto que define os salários de prefeito e vereadores da próxima gestão em Campo Mourão, foi marcada por polêmica na manhã desta quinta-feira.

Houve discussão ríspida entre as partes contrárias e a favor da redução salarial e muita reclamação também das poucas pessoas que compareceram à Câmara para acompanhar a sessão. A cada manifestação de vereador contrário ao aumento, aplausos da plateia.

A proposta de redução salarial apresentada pelo vereador Luiz Alfredo da Cunha Bernardo foi rejeitada. Ele queria que o salário de vereador fosse reduzido de R$ 7 mil para R$ 4,5 mil, enquanto que o próximo prefeito, pela sua posição, deveria passar a receber R$ 19,5 mil.

Ao final, venceram os votos favoráveis ao aumento salarial. Com isso, na próxima gestão, de 2021/24, prefeito passa a receber R$ 22,8 mil e vereador, R$ 7.860. Vice-prefeito embolsa R$ 1.100, enquanto o presidente da Câmara terá salário de R$ 10.519. Para os secretários, ficou estabelecido teto de R$ 12.579.

Foto: Clodoaldo Bonete/Tasabendo.com

POLÈMICA

Luiz Alfredo justificou sua proposta contrária ao aumento salarial de prefeito e vereadores. “Se você quer ser prefeito ou vereador é uma opção sua, não uma evolução na sua vida profissional e econômica”, disparou.  Para ele, salário de R$ 22 mil ao prefeito é “demais” comparado às necessidades da prefeitura, sem contar o comprometimento da Folha.

“Isso é recurso humano, você não dá aumento para servidor, médico ou professor e não fica aqui 2 horas justificando que tem que ter correção. Tem médico que ganha R$ 5 mil e agora o vereador recebendo R$ 10 mil para ser presidente da Câmara. Que parâmetro moral é esse? Por isso propus o máximo de R$ 4,9 mil para presidente da Câmara e vereador, R$ 4.5 mil”, declarou.

O vereador Sidnei Jardim (PPS) contra-atacou, propondo que os contrários devolvam o salário ou a parte que acreditam ser injusto receber.

“Sou vereador há seis mandatos, sempre vejo esse tipo de discussão, mas nunca vi um vereador devolver o salário. Além disso, considero demagogia você receber determinado salário e depois propor um salário menor para os próximos vereadores. Os valores foram aprovados em primeiro turno nesta quinta-feira, por 7 a 6.

Votaram a favor do projeto

Olivino Custódio

Sidnei Jardim

Edilson Martins

Edoel Rocha

Edson Battilani

Elvira Schen

Jadir Pepita

Contrários ao projeto

Luiz Alfredo

Miguel Ribeiro

Cabo Cruz

Nelita Piacentini

Professor Cícero

Tucano Ribeiro