Candidatos a prefeito falam sobre planos para Campo Mourão

O eleitor mourãoense terá três opções de voto para prefeito de Campo Mourão na eleição marcada para 15 de novembro. Um deles, o atual prefeito, Tauillo Tezelli (Cidadania), que tenta a reeleição.

A outra opção é Rodrigo Salvadori (Progressistas), candidato que vai tentar pela segunda vez seguida chegar à prefeitura. Em, 2016 ele acabou perdendo para Tezelli.

Também o eleitor tem a opção de escolher uma mulher para comandar o poder Executivo. Nivalda Sguissardi, presidente do Sindicato dos Bancários, é a representante do PT na eleição deste ano.

Ouvidos pelo Tasabendo.com, os três falaram um pouco sobre o que os motivou a pleitear a cadeira do Executivo na próxima gestão.

O atual prefeito começou citando um pouco do que fez no primeiro mandato. “Nesse primeiro mandato procuramos organizar as finanças do município, e depois buscar recursos a fundo perdido ou financiamento para obras de reconstrução da cidade”, disse ele.

Ele pontuou as obras que considerou prioridade nesse mandato que termina no fim do ano. “A prioridade foi a melhoria das ruas e avenidas, que totalizaram 180km em recape, asfalto novo, antipó e micropavimento. Num segundo mandato, lógico que vamos continuar investindo em infraestrutura, recuperação de outros espaços que não receberam investimento, mas temos que transformar nossa cidade em uma cidade humana, inteligente, capaz de manter aqui seus talentos, os quais estão nas universidades. Já existe um trabalho iniciado e vamos ampliar, e com isso atrair empresas para essa nova economia. Também não podemos esquecer que a educação precisa sempre de investimentos, assim como a saúde, com novos serviços e mais especialidade na rede municipal. O que queremos é uma cidade saudável, produtiva e pronta para os próximos anos.”

Rodrigo Salvadori disse que ele e a família têm um compromisso de vida com Campo Mourão. “Amamos esta terra e seu povo, não medimos esforços para o desenvolvimento constante desta cidade, priorizando sempre a melhor qualidade de vida para a população. O que, inicialmente, pode parecer uma fala eleitoreira, é na verdade uma declaração de amor por Campo Mourão. Foi aqui que, há décadas, minha família fincou os pés com pioneirismo, acreditando na cidade”, declarou.

Ele ainda lembrou do avô, Rosalino Manusetto Salvadori, que foi vereador e prefeito na cidade. “Ele teve um mandato exemplar ao lado do lendário Milton Luiz Pereira. Me preparei para retribuir a esta terra tudo que ela nos proporcionou. Estou preparado para administrar Campo Mourão e honrar cada dia de mandato, escrevendo uma história de trabalho, inovação, transparência e honestidade, – características de nossa família. Enfim, quero ser prefeito de Campo Mourão porque amo a cidade e seu povo e me preparei para ser um dos melhores administradores que este município terá em sua história”, afirmou.

Já Nivalda conta que está em Campo Mourão há 32 anos “e não vejo as demandas do município refletidas nos candidatos com quem concorro.”

Ela diz que Campo Mourão parou no tempo. “Ao comparar o crescimento de outros municípios, me sinto incomodada porque Campo Mourão não se desenvolve no mesmo ritmo. Segundo o IBGE, de 1991 a 2020, Campo Mourão cresceu 21%, enquanto Guarapuava, Maringá e Cascavel, cresceram, no mesmo período, 33%, 76% e 69%, respectivamente”, avalia.

Além do interesse pelo bem comum, segundo ela, Campo Mourão merece ter outra prefeita. “Afinal de contas, dos 20 prefeitos que essa cidade já teve, 19 foram homens. As mulheres, em geral, não têm estímulo para participar da vida política e da administração pública. Além da capacidade administrativa, as mulheres são dotadas de uma atenção maior para com a vida. Em tudo que faço, meu comprometimento é total, assim como foi quando participei dos conselhos da saúde e da mulher, que infelizmente foi extinto, e nas minhas passagens pelo sindicato dos bancários, e pela Presidência da comunidade Luterana do Brasil.”