Vandalismo em placas de trânsito causa prejuízos aos cofres públicos

As placas quebradas são recolhidas e as que têm condições de conserto são repostas – Foto: Divulgação

A destruição de placas de sinalização, além de prejudicar a orientação e segurança no trânsito, também traz prejuízos financeiros ao município. Segundo a Diretoria de Trânsito (Diretran), o custo médio de instalação de uma placa, incluindo material e mão de obra, gira em torno de R$ 298,77 para os cofres municipais. Em média, são danificadas entre 7 a 8 placas por mês, o que significa um prejuízo de aproximadamente R$ 2 mil mensais. As placas quebradas são recolhidas e as que têm condições de conserto são repostas.

O diretor Renato Ikeda ressalta que as placas são fundamentais para manter o fluxo do trânsito em ordem e em segurança, tanto para condutores de veículos quanto para pedestres. “Nos últimos meses temos recebido diversas solicitações para instalação de placas e na mesma proporção pedidos para recolhimento de placas que foram derrubadas ou danificadas, decorrentes de vandalismo ou colisão de veículos”, informa Ikeda.

Ele adverte que destruir ou danificar o patrimônio público ou qualquer objeto que atenda a um coletivo é considerado crime, previsto no artigo 163 do Código Penal, com pena de multa e até detenção de seis meses a três anos. “Caso sejam identificados, os responsáveis serão notificados e processados para que possam arcar com o dano”, reforça Ikeda, ao solicitar a colaboração da população através de denúncias, mesmo que anônimas, pelo telefone 156 (Ouvidoria) ou (44) 3523-2175 (Diretran).