Lixo eletrônico de Campo Mourão é reciclado e exportado

Uma das primeiras empresas a participar do modelo de chamamento público para aquisição de terrenos subsidiados pela Lei do Pró-Campo em 2017, a TM Solutions se tornou um exemplo de empreendimento que alia crescimento à sustentabilidade ambiental. É uma das poucas empresas no município que atuam regularmente na reciclagem de resíduos eletrônicos.

As sucatas de computadores, televisores, monitores, placas entre outros, que se constituem em um grande problema ambiental por conterem metais e produtos químicos com grande potencial de poluição, são desmontadas e enviadas para outra em empresa em Curitiba. “De lá passam por outro processo e os principais materiais reciclados de interesse comercial são exportados para países como Alemanha e China”, explica o empreendedor Maycon Tales Magalhães, que é engenheiro elétrico.

Fundada em 2014 no município de Araucária (PR), a empresa mudou-se para Campo Mourão em 2015 com a ideia de continuar atuando na reciclagem de eletrônicos. “Além de fazer o bem ao meio ambiente foi uma forma de ganhar dinheiro com o que é um problema de descarte para pessoas e empresas”, enfatiza Magalhães.

No novo barracão de 200 metros quadrados construídos em um terreno que estava parado há mais de 40 anos da prefeitura, a TM Solutions recolhe em média 2 toneladas de lixo eletrônico ao mês. A empresa cresce a uma média de 15 por cento ao ano e os próximos projetos são inserir tecnologia para coleta e atuar na reciclagem da chamada linha marrom, que são os resíduos como sofás, mesas, cadeiras e móveis em geral.

APOIO AOS EMPREENDEDORES
Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Eduardo Akira Azuma, é importante que a sociedade conheça o perfil e quem são os empreendedores apoiados com recursos públicos.

“Em um esforço que envolve as Secretarias de Desenvolvimento Econômico, Procuradoria Geral, Secretaria de Planejamento, Secretaria da Fazenda, Meio Ambiente, Obras e Departamento de Patrimônio, o objetivo é implementar e apoiar os empreendedores que estão se consolidando no município, arrecadando impostos e gerando renda, principalmente com terrenos que estão sendo subutilizados ou mesmo abandonados”, observa.