Entidades assistenciais pedem apoio para manter atendimento

A escassez de recursos começou a afetar o pagamento de funcionários e a manutenção das instituições – Foto: Divulgação

Sete representantes de entidades assistenciais de Campo Mourão participaram nesta terça-feira (14), de uma reunião com os cinco vereadores, membros da mesa diretora da Câmara, para pedir apoio para a grave crise financeira enfrentada por elas. A escassez de recursos começou a afetar o pagamento de funcionários e a manutenção das instituições, Cedus, APAE, Lar Miriã, CTR, Lar dos Velhinhos, Lar dos Bosco e Mão Cooperadora.

“Se não houver mudanças nos repasses, vamos apagar as luzes, fechar as portas e entregar as chaves para quem quiser ou estiver disposto a administrar o Lar dos Velhinhos”, disse o membro do Conselho Central do Lar dos Velhinhos, Luiz Carlos Menechini. “Não aguentamos mais vender rifa, bolos e outras atividades para arrecadar dinheiro e pagar as contas”, desabafou Menechini. Segundo ele, a instituição atende 67 pessoas idosas e cada um tem um custo de R$ 2,8 mil por mês. “A conta se torna alta demais, e o repasse, baixo demais”.

A vice-presidente do CTR, Ivone Maggioni Fiore, também lembrou as dificuldades financeiras enfrentadas pela instituição. “Estamos dispensando funcionários por falta de recursos. Prestamos serviços de média e alta complexidade em Educação, Saúde e Assistência Social, trabalhos estes com um custo elevado e os recursos repassados são insuficientes. Não aguentamos mais ter de apertar o cinto onde não a mais o que apertar”, disse. “Se continuar assim, os assistidos terão de voltar a dormir e ficar na rua”, comentou Fiore.

O presidente da Câmara, vereador Olivino Custódio saiu em defesa das entidades assistenciais e se comprometeu a viabilizar recursos junto aos deputados federais, estaduais e com o prefeito. “O momento é de nos unirmos e buscar ajuda para as entidades. Estarei levando essa causa à bancada e aos deputados federais para tentar recursos com as emendas impositivas”, lembrou o Custódio. “Ajudamos agora ou teremos problemas quando as entidades apagarem as luzes, colocarem os assistidos na rua e fecharem as portas”.

Para o vereador, Edson Battilani, essas entidades não podem ser penalizadas. “Vamos conversar com os deputados federais para ajudar com emendas ao orçamento. Como a Câmara tem um orçamento, vamos conversar com o prefeito para destinar para entidades de Campo Mourão”, comentou.

Os vereadores Pepita, Tucano e Cabo Cruz, também defenderam a necessidade de medidas urgentes para ajudar as entidades assistenciais. “Não podemos deixar essas entidades que prestam um brilhante serviço à sociedade de Campo Mourão e Região, apagar as luzes. Vamos ajudar sim”.