Aluna da área rural de Campo Mourão ganha prêmio nacional de redação

Yasmin foi a primeira colocada na categoria redação, da Etapa Nacional do Programa Educação Ambiental (PEA) – Campo Limpo – Foto: Divulgação

Saindo todos os dias da propriedade onde reside com os seus pais, na região da comunidade rural Alto Alegre, Yasmin Lobrianchi, aluna da Escola Municipal do Campo Caetano Munhoz da Rocha, no próprio Alto Alegre, foi uma das ganhadoras de prêmio, como primeira colocada na categoria redação, da Etapa Nacional do Programa Educação Ambiental (PEA) – Campo Limpo, uma iniciativa da Associação dos Distribuidores de Insumos e Tecnologia Agropecuária (Adita) em parceria com o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev). A escola oferece ensino da educação infantil ao quinto ano (período da manhã).

Com o título “Construindo um Mundo Melhor”, Yasmin escreveu uma redação de 22 linhas, encerrando da seguinte forma: “Assim estarei colocando meu tijolinho na construção ou reforma deste mundo melhor tão sonhado por todos nós. Precisamos de menos palavras e mais atitudes”.

A professora Bruna Oliveira afirmou estar muito feliz com a conquista. “É uma aluna muito querida, esforçadíssima, sempre atenta e persistente nas suas atividades. É caprichosa, dedicada e mereceu esta conquista. O fato de ela ter ganho mostra que com simplicidade a pessoa também pode chegar aos seus objetivos, mesmo nas idades iniciais da sua vida, com humildade no coração, sabedoria, criatividade da mente, que desenvolveu e fez fluir esta redação tão bonita que ela preparou”, destacou. Yasmin já havia ficado com o primeiro lugar regional, o que a qualificou para a disputa do prêmio nacional. Também da Caetano Munhoz da Rocha, Sthefany dos Santos tinha conquistado o primeiro lugar regional na categoria desenho.

Yasmin tem 10 anos de idade e vai fazer 11 agora no final deste ano de 2019. A conquista a nível nacional empolga a professora, também toda a comunidade loca, a comunidade escolar, e premia uma aluna que muitas vezes tem dificuldades de chegar até a escola, por conta do acesso difícil ao sítio onde mora, principalmente em períodos chuvosos. “A aluna muitas vezes precisa dormir na residência da avó (trazida pelo pai caminhando a pé), já que o ônibus passa bem próximo deste local, o que facilita a sua vinda até a escola, para que ela possa não perder a aula”, explica.

As unidades da área escolar, em sua maioria multiseriadas, acabam ficando um pouco isoladas do conhecimento das pessoas, principalmente os que moram na área urbana da cidade, muitas inclusive nem sabe que existem. Então uma conquista como esta, da aluna desta escola rural, acaba valorizando a unidade escolar. “O trabalho em uma unidade escolar da área rural também tem grande importância, trazendo o conhecimento, como aqui podemos ver. Aqui no campo não estamos apenas para colher e plantar, mas existem suas comunidades que estão ativas, esta conquista da nossa aluna é um grande exemplo disso. Na área rural os alunos praticamente saem uma hora, uma hora e meia, até duas horas antes do início da aula de suas casas,  nas propriedades rurais, para que possam pegar o transporte para chegar na aula, entrar para a aula. Temos casos de alunos que saem cinco e meia da manhã de casa para começar a estudar 15 para as oito, o que acaba não sendo muito fácil. Mas eles se esforçam, persistem, vem, e buscam a sua alfabetização, alcançam suas conquistas, como esta da Yasmin por exemplo, que acaba se tornando um grande orgulho para todos nós”, conclui a professora Bruna. Dayane Modesto Santana, da Escola Municipal Rui Barbosa, de Umuarama, foi outra aluna paranaense a conquistar este prêmio nacional, na categoria desenho. Como prêmio as alunas e a professoras (das duas categorias) vão ganhar um notebook (cada uma) e a escola um projetor.

“Para nós a conquista é importante. É uma escola rural, trabalhamos para preparar nossos alunos para que no futuro sejam grandes cidadãos, aqui no campo tudo é mais difícil, sempre estamos contando com o apoio também de amigos,  colaboradores, da própria comunidade, enfim, para que possamos continuar a oferecer a melhor qualidade de ensino a todos os alunos, e um resultado como este alcançado só nos enobrece e nos motiva a seguir oferecendo o melhor para os nossos alunos”, aponta a orientadora educacional Neidilene Padilha, que foi orientadora da aluna vencedora na redação.

As duas estudantes paranaenses concorreram com outros 240 mil alunos da rede municipal de ensino, das 2.517 escolas, situadas em 323 municípios de 23 Estados Brasileiros. “Nos alegra ver uma conquista como esta, de uma aluna que reside na área rural. O trabalho com a educação em nosso município é de grande qualidade, temos sempre o objetivo de oferecer o melhor, para que o ensino esteja sempre a altura daquilo que o aluno necessita para aumentar o seu conhecimento, e desta forma seguimos trabalhando, unidos, para que nossa educação seja cada vez melhor, alcançando resultados expressivos, como este agora alcançado pela Yasmin”, afirma o prefeito Tauillo Tezelli.

ORGULHO

Waldir Baccarin, Gerente Operacional da Adita, que tem uma de suas unidades em Campo Mourão, também falou da satisfação de ver duas alunas da região de abrangência da Adita no Noroeste Paranaense ganharem os prêmios nacionais. “É uma iniciativa toda especial, que busca a proteção da natureza, bem como a conscientização da criança da necessidade do cuidado com o meio ambiente, e desta forma, por meio de redação e desenhos, estas crianças puderam manifestar o seu olhar sobre a atual relação que temos com o planeta. Com traços e palavras muito bem descritos, elas também apontaram a necessidade de cuidar e proteger o nosso planeta. E as escolas, os professores, orientadores, diretores e as próprias alunas (Yasmin e Dayane) estão de parabéns, pela criatividade e disponibilidade em participar deste concurso”, relata Baccarin, que fez questão também de exaltar o importante trabalho de sua equipe na realização deste concurso.