Produtores da agroindústria de Mamborê buscam qualificação

O treinamento foi ministrado pela tecnóloga de alimentos e instrutora do Senar-Pr Cleidimar Rocha de Oliveira – Foto: Divulgação

A crescente procura pelos produtos da agricultura familiar tem evidenciado a importância econômica, social e cultural que esta atividade representa para a maioria dos municípios brasileiros que possuem renda predominantemente da agropecuária. Entretanto, como todos os demais setores econômicos, têm enfrentado muitos desafios.

Uma opção viável é a agroindustrialização, isto é, a produção artesanal de alimentos através da transformação das matérias-primas disponíveis na propriedade, agregando valor à produção, gerando emprego e renda, e melhorando as condições de vida das famílias.

Além disso, valoriza a cultura alimentar local e regional, estimula a sucessão familiar com a participação dos jovens nas atividades e promove a segurança alimentar e nutricional, oferecendo mais qualidade para o consumidor que cada dia mais procura este diferencial ao adquirir seus produtos.

Na busca do fortalecimento da agroindústria familiar local, através da capacitação técnica, da motivação do grupo e da troca de experiência entre os produtores, o Instituto Emater em parceria com o Sindicato Rural/Senar-Pr e com apoio da Prefeitura Municipal de Mamborê, promoveu entre os dias 31 de outubro e 6 de novembro, uma capacitação técnica envolvendo a produção de Panificados, com carga horária de 16 horas e a participação de 28 produtoras.

O treinamento com a tecnóloga de alimentos e instrutora do Senar-Pr Cleidimar Rocha de Oliveira, abordou diversos conteúdos de formação do manipulador de alimentos, tais como, as boas práticas na produção de alimentos, os perigos químicos, físicos e biológicos envolvidos, a qualidade da água e diversas outras questões referentes ao preparo de alimentos. Além disso, o ponto alto desta capacitação foi a produção de Panificados, como cuca, panetone, pão de milho, pão de hambúrguer, grissinis, sonhos recheados, pizza e muito mais.

É crescente o número de produtores locais que tem visto na agroindústria familiar uma boa alternativa de renda, graças ao incentivo do Instituto Emater que presta assistência técnica para implantação e aprimoramento de empreendimentos de transformação de alimentos, assim como, orientação para a regularização da agroindústria, para a rotulagem (informação nutricional) e organização para acesso a mercados, entre outros.

“O curso de Panificação, era de todos, o que mais queria fazer. Aprendemos muito!… Amei fazer”, relata Daniele Mailkut, produtora rural da Comunidade Sununu. “Entendemos que as agroindústrias precisam competir a partir de um produto diferenciado, uma vez que não possuem escala. Para isso, é fundamental a busca pela capacitação e profissionalização”, ressalta o extensionista Luiz Vanderley, do Instituto Emater, responsável pelo projeto na região.