Goioerê: mulher que matou criança envenenada foi assassinada na cadeia

Gislaine cumpria pena de 30 anos por ter matado uma criança e ter tentado matar outra – Foto: Divulgação

A detenta Gislaine Aparecida Oliveira, 31, conhecida como Elaine, e que foi encontrada morta dentro da cela da cadeia pública de Goioerê, não cometeu o suicídio, mas foi morta por outras presas da unidade. A constatação foi feita pela Polícia Civil, após exame de necrópsia do IML de Campo Mourão apontar que ela tinha várias lesões pelo corpo.

Gislaine foi encontrada morta, pendurada por um lençol no pescoço na porta da cela, onde estava detida, no dia 1º de setembro deste ano. Para a polícia, as companheiras de cela a mataram e deixaram o corpo pendurado, para simular um enforcamento.

O delegado Hélio Nunes Pires comanda a investigação para saber a real motivação e a autoria do crime. No entanto, o delegado acredita que a morte de Gislaine estaria relacionada ao crime que ela cometeu, matando uma criança envenenada, para vingar a traição do marido com a vizinha.

A criança era filha da vizinha. Ela ainda teria tentado matar outro filho da mulher por envenenamento.                         “Já ouvimos algumas presas e vamos ouvir outras, para verificar a autoria do homicídio”, disse o delegado ao site Goionews. Para ele, “parece não haver dúvidas com relação à motivação.”

A MORTE

Gislaine foi encontrada morta pendurada por um lençol na porta da grade, dando indícios de suicídio, no dia 1º de setembro. No entanto, as lesões constatadas pelo IML indicaram que ela foi violentamente agredida antes de ser pendurada na grade. A detenta estava presa por ter matado uma criança e tentado matar outra, por envenenamento.

Tudo isso, para se vingar do marido que tinha um caso com a vizinha, mãe das crianças. Pelo crime ela foi condenada a 30 anos de prisão. O crime, porém, revoltou outras presas, que decidiram fazer justiça com as próprias mãos. (Com informações Goionews)