Dono de chácara não teve envolvimento com crime em Araruna, esclarece advogado

Advogado da família, João Alves da Cruz Filho disse que tudo não passou de um “mal-entendido” – Foto: Clodoaldo Bonete/Tasabendo.com

Um homicídio ocorrido na terça-feira passada em Araruna, acabou gerando grandes transtornos ao dono de uma chácara vizinha a sede do município, que não tinha nada a ver com o crime. Tudo porque após o assassinato de Danrlei Batista Viana, os criminosos foram parar na propriedade do agricultor, onde renderam ele, a esposa e uma filha do casal. Ao saírem, deixaram a arma usada no crime dentro de sua casa, o que gerou toda a confusão.

Com isso, na reportagem produzida pelo Tasabendo.com  chegou a ser publicada que o morador da chácara teria envolvimento com os bandidos. Após os fatos esclarecidos pela polícia, dando conta que ele também havia sido vítima dos criminosos, inclusive sendo mantido refém por algum tempo com a família, a reportagem foi editada no site.

Nesta quarta-feira, buscando esclarecer os fatos, o advogado da família, João Alves da Cruz Filho informou que tudo não passou de um ‘mal-entendido.’ “O que ocorreu é que após terem cometido o crime em Araruna, os dois indivíduos tomaram rumo ignorado e ao encontrarem o portão da chácara do seu Valdir aberta, acabaram entrando, possivelmente para se refugiarem. Em seguida renderam a família até que num determinado momento, um deles foi ao banheiro, onde acabou deixando a arma usada no crime”, disse o advogado.

Logo em seguida um terceiro comparsa chegou na propriedade com um Fiat Uno para resgatar a dupla. Todos foram embora, mas a arma acabou ficando dentro da casa do agricultor. “Quando a polícia chegou e encontrou a arma do crime dentro da casa, houve esse entendimento de que o seu Valdir pudesse ter envolvimento com os criminosos. Mas assim que ele, a esposa e a filha foram ouvidos na delegacia, tudo ficou esclarecido. A única situação que ocorreu é que ele mantinha uma arma antiga na propriedade, mas recolheu a fiança e foi liberado”, relatou Filho.

Isso tudo, causou um grande constrangimento para a família, porém, segundo o advogado, o que precisa ficar claro é que ele nunca teve nenhum antecedente criminal. “É um homem trabalhador, que nunca esteve na delegacia acusado de nada e que acabou sendo vítima também nessa situação.”