Sucessão familiar para manter a produção na bovinocutura leiteira de Iretama

Produtor Rubens Aparecido de Carvalho começa a passar o que sabe ao filho – Foto: Divulgação

A bovinocultura de leite é uma das atividades mais penosa para os produtores, pois a carga de trabalho é bem elevada e sem horários certos para parar de trabalhar. Além disso, as variações de preços constantes na remuneração, consequentemente vem desestimulando os jovens, e por isso é uma das atividades agropecuárias com maior dificuldade na sucessão familiar.

Para o sucesso destas propriedades familiares é imprescindível que as famílias rurais planejem o processo sucessório, bem como seja despertado o interesse dos jovens em permanecer no campo, dando seguimento aos negócios familiares com eficiência e eficácia.

A ausência de jovens que sucedam seus pais na produção de leite, tem feito com que muitas famílias desistam da bovinocultura leiteira, comercializando ou arrendando as propriedades.

Este tema é um grande desafio para a extensão rural, pois segundo dados do IBGE, o percentual de jovens no meio rural está diminuindo, isso mostra que cada vez mais cedo os filhos dos produtores estão deixando a zona rural para irem morar nas cidades.

Em vista disto, o IDR Paraná IAPAR / Emater do município de Iretama, vem trabalhando com estas famílias de produtores assistidos para que os filhos sucedam seus pais futuramente na produção de leite. “Sempre que faço as vistas técnicas nas propriedades, faço questão que os filhos nos acompanhem e entendam as explicações sobre diversos assuntos tratados, como por exemplo, o manejo dos animais, gestão financeira, entre outros”, afirma o extensionista, Jorge André.

O produtor Rubens Aparecido de Carvalho reconhece que está chegando a hora de aposentar na atividade. “Logo que não vou mais conseguir tocar o sitio, então já estou passando alguns serviços na propriedade para ele (o filho) ir fazendo, e para que isso dar certo contamos sempre com a assistência técnica do IDR”, disse ele.

O interesse demonstrado por grande número de jovens tem estimulado a sequência deste trabalho de capacitação, buscando a sustentabilidade da atividade e redução do êxodo para os grandes centros.

Informações: IDR-Pr – Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar/Emater