Codecam organiza evento sobre desenvolvimento e inovação no agronegócio

Palestra será com o professor Aldo Nelson Bona – Foto: Divulgação

O desenvolvimento do agronegócio por meio de conexões entre o setor produtivo, instituições de ensino superior e governo, será o tema da palestra do professor Aldo Nelson Bona, no I Fórum do Agronegócio, Tecnologia e Inovação (FATI), organizado pela Câmara Temática do Agronegócio do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Campo Mourão (CODECAM). O evento acontece nesta terça-feira (6), às 19h30, no Recanto do Criador.

Essas conexões são estudadas desde a década de 1990, inicialmente, no México e EUA, e formam a chamada tríplice hélice da inovação, segundo a qual o processo de produção de inovação deve ser construído sobre três pilares que se interrelacionam: as empresas, as instituições de ensino superior e o governo.

O professor Bona, que atualmente é membro do Conselho de Administração do TECPAR – Instituto Tecnológico do Paraná e Diretor Geral da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, abordará a influência das instituições de ensino superior locais, como a UNESPAR e a UTFPR, na formação de profissionais de alto nível e na produção de pesquisa (básica ou aplicada) em seus cursos de graduação e de pós-graduação; destacará também o papel das empresas que, neste cenário, podem puxar o processo de inovação a partir de demandas reais; e, por fim, na terceira hélice, o papel fomentador e estimulador dos governos, por meio de políticas públicas de incentivo à pesquisa e ao desenvolvimento de inovações aplicadas.

Esse paradigma, aplicado ao agronegócio local, será discutido no I FATI – Fórum do Agronegócio, Tecnologia e Inovação.

Segundo Newton Leal, empresário e presidente do CODECAM, o Conselho tem o papel de discutir com a comunidade alternativas para o desenvolvimento econômico local; e, preferencialmente, a partir de insumos já existentes no município, dentre eles, o grande potencial de desenvolvimento presente nos cursos de engenharia de alimentos, engenharia de produção agroindustrial, agronomia e veterinária, hoje presentes no município.

Para a advogada Dâmares Ferreira, coordenadora da Câmara Temática do Agronegócio, como principal cadeia produtiva local e regional, o agronegócio tem potencial para contribuir para o desenvolvimento de novos negócios, de base tecnológica ou tradicional, em Campo Mourão.

Segundo ela, o FATI – Fórum do Agronegócio, Tecnologia e Inovação passará a ocorrer todos os anos, em Campo Mourão, e esta edição conta com o apoio da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Sindicato Rural, Coamo, Adapar – Agência de Defesa Agropecuária do Paraná, Emater – Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural, Senar – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, Associação dos Agrônomos de Campo Mourão, UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná/Campus Campo Mourão, Centro Universitário Integrado, Unespar – Campus Campo Mourão,  Unicampo, Instituto de Tecnologia do Paraná/Tecpar, Instituto de Direito, Educação, Tecnologia e Inovação(IDDETI) e SbM (Softare by Maringá).