Mãe consegue salvar do suicídio filho que participava do desafio da Baleia Azul

baleia azul

Um adolescente de 15 anos que mora em Lages, Santa Catarina, tentou se matar por duas vez, depois de participar do jogo da ‘Baleia Azul’, nas redes sociais. O desafio incentiva os integrantes a verem filmes de terror durante a madrugada, ouvir músicas psicodélicas, se cortarem, fingirem doenças e, por fim, se suicidar. O adolescente foi internado em estado grave após ingerir diversos comprimidos e se intoxicar. Ele pediu à mãe que o ajudasse a não voltar para casa, senão seria obrigado a se matar.

Há poucas semanas, a vítima era um adolescente como qualquer outro. Estudioso e dedicado, frequentava a escola pela manhã e, à tarde, era cuidador de duas crianças. Até a semana passada, dividia o quarto com o irmão caçula de 9 anos. Então, pediu para que o pequeno passasse a dormir com a mãe. Ela não viu problema e acatou o pedido. Depois disso, as mudanças foram notórias: olhar triste, passou a ficar mais tempo no quarto e apresentou agressividade

Numa manhã, a mãe foi ao quarto e o menino não acordava. “Deixei dormir, pensei que era sono”. Perto do horário do almoço ela foi chamá-lo e ele não acordava, nem se mexia. Cartelas de remédios foram encontradas ao seu redor. No hospital, em meio ao delírio, ele confessou que estava participando de um jogo e que não queria mais viver. O menino voltou para casa e, por três dias, sua mãe o ficou monitorando ininterruptamente, porém, ao ir tomar banho, na terça-­feira (11), únicos minutos que ficou sozinho, mais uma vez tomou remédios, saiu do banheiro, deitou e desmaiou.

Desta vez, foi necessário chamar o Samu e, ao chegar no hospital, pediu que não deixasse voltar para casa – “se eu voltar, vou morrer, cuida de mim, mãe”. Além de tomar os remédios na tentativa de um suicídio, o garoto fez diversos cortes pelo corpo. Ele está internado no Hospital Infantil Seara do Bem, em um quarto isolado, sem acesso a aparelhos com internet.

A mãe conta que o adolescente recebeu um link via rede social para participar de um grupo, ele clicou e recebeu os 50 passos para cumprir o desafio. Os primeiros foram concluídos, mas por achar que não aguentaria até o final, quis antecipar a 50ª etapa, que era se matar.

Ela contou que o celular com todas as conversas entre o curador, pessoa que enviou os desafios que o garoto deveria cumprir e o seu filho, foram entregues à Polícia Civil. No celular, estão mensagens do grupo de WhatsApp, Blue Whale Challenge, em que fotos com cortes pelo corpo foram enviadas, além disso, há textos que ameaçam o adolescente quando tenta dizer ao curador que não fará mais parte do desafio.

A Polícia Civil investiga o caso e o delegado da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso de Lages, Frederico Cezar de Melo Silva, afirma que outro caso sobre o Desafio da Baleia Azul está sendo investigado na cidade, mas não passou detalhes sobre a ocorrência. No Brasil, ainda nenhuma pessoa foi presa envolvida neste jogo.