Campo Mourão Basquete na história!

Foto: Alex Tavares/LNB

Foto: Alex Tavares/LNB

O Campo Mourão está fazendo história no NBB CAIXA. Depois de bater o UniCEUB/BRBCARD/Brasília em plena capital federal, a equipe mourãoense foi até São Paulo e “causou” novamente. Com direito a bola da vitória de Cauê Verzola nos segundos finais, o time do interior paranaense superou o EC Pinheiros nesta terça-feira, de maneira emocionante, por 78 a 76, e conquistou seu segundo triunfo seguido fora de casa.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, o patrocínio da SKY e os apoios do Ministério do Esporte e da Avianca.

Tá na história: Com mais este expressivo triunfo, o Campo Mourão fechou o ano de 2016 com seis vitórias em 11 partidas (54,5% de aproveitamento) e cravou o melhor início de temporada de um time estreante na Liga Ouro na história. Esta campanha supera os começos de Rio Claro e Caxias, outros que vieram da Divisão de Acesso, em suas temporadas de estreia. Que marco!

Herói: O dono do jogo foi Cauê Verzola. Com arremesso de 2 pontos certeiro restando quatro segundos para o fim do jogo, o armador foi o grande herói da histórica vitória do Campo Mourão e coroou sua expressiva atuação na noite desta terça-feira, em que totalizou 21 pontos, sete assistências, seis rebotes e sonoros 26 de eficiência.

Fala aí: “Senti que estava confiante no jogo. Estamos sem o Betinho, que é um cara que costuma puxar mais os pontos da equipe, então chamei a responsabilidade. Já tive essa característica, de jogar de ala e arremessar mais. Senti confiança e a equipe toda me passa confiança. O crédito vai para todos. O Emerson fez a jogada, meus companheiros me deixaram em condição de arremessar, então o mérito é dividido”, disse Cauê.

Visitante indigesto: O Campo Mourão está se dando muito bem nos jogos fora de casa. Com esta vitória em São Paulo, a equipe do técnico Emerson de Souza somou sua quarta vitória em cinco jogos que fez como visitante neste NBB CAIXA (75% de aproveitamento). Este retrospecto é melhor do que das partidas em casa, em que ganhou somente duas das seis que disputou.

E agora: O Campo Mourão agora curtirá o bom momento e as festas de final de ano e só voltará à quadra em 2017, quando receberá o Mogi das Cruzes/Helbor no dia 06, no Ginásio Belin Carolo, às 20h15.

Garoto promissor: Atuando como titular em meio aos desfalques, o ala/pivô Wesley Andrade, de 22 anos, apareceu muito bem novamente. Bastante acionado no ataque e muito confiante, o jogador registrou um duplo-duplo de 15 pontos e 11 rebotes e foi um dos grandes nomes da bela vitória do Campo Mourão sobre o Pinheiros.

Precisou segurar: Para sair vencedor, o Campo Mourão precisou resistir à atuação de gala de Corderro Bennett. Em 36 minutos em quadra, o norte-americano registrou 23 pontos em 27 tentados (85,2% de aproveitamento), além de pegar sete rebotes e distribuir seis assistências, o que gerou 29 de eficiência.

Chama o Pastor: Com mão quente nas bolas de fora, o ala Vinícius Pastor acertou chutes importantes em momentos cruciais do confronto e também foi responsável pela vitória. No total, o atleta fez 18 pontos e ainda pegou seis rebotes (19 de eficiência).

Mais Pinheiros: O Campo Mourão até se mostrou mais solto no início da partida, em que chegou a abrir 9 a 4, porém, o Pinheiros mudou a história rapidamente. Com mais intensidade no ataque, a equipe da casa foi mais eficiente com a dupla Holloway e Bennett e não só virou o jogo como ainda abriu 13 pontos (26 a 13). No final, a vantagem dos paulistas terminou em 11 pontos ao final do período inicial: 28 a 17.

Reação mourãoense: O ritmo pinheirense seguiu alto, e com corrida de 10 a 4 nos primeiros quatro minutos, a diferença pulou para 17 pontos (38 a 21). Mas, depois disso, o time do Paraná se encontrou e voltou para o jogo. Com nítida melhora defensiva, o Campo Mourão recuperou o prejuízo e foi para o vestiário perdendo por apenas quatro pontos: 41 a 37.

Virada e emoção: O Campo Mourão passou à frente no placar e colocou fogo no jogo. Aproveitando muito bem as transições, a equipe do técnico Emerson de Souza venceu o terceiro quarto por 23 a 13 e caminhou para os dez minutos finais com seis pontos de vantagem: 60 a 54.

Pura pressão: Os paranaenses seguiram com ótima vantagem, entre seis e sete pontos. Depois de ver o Pinheiros reagir e cortar a diferença para um ponto (69 a 68), os comandados do técnico Emerson de Souza abriram oito pontos restando três minutos para o final do duelo (76 a 68) e colocou uma mão na vitória. Mas, o jogo ainda estava longe de acabar.

Dramático: Mesmo com o mau momento, o Pinheiros encontrou forças para reagir. E assim o fez. Sob o comando de Desmond Holloway, autor de cinco importantes pontos no minuto final, a equipe da casa empatou a partida (76 a 76) restando 25 segundos para acabar. Na posse do Campo Mourão, Cauê Verzola segurou a bola até o limite e, com quatro segundos para acabar, acertou um arremesso longo de 2 pontos e garantiu a vitória: 78 a 76.