Campo Mourão inicia fase de captação de recursos para projeto de empreendedorismo

A Secretaria de Desenvolvimento de Campo Mourão e a Tecnocampo enviaram nesta segunda-feira (15) projeto de captação de recursos para o Ministério da Integração Nacional, que por meio de Edital de Chamamento Público está selecionando propostas de Estados e Municípios que visem, em linhas gerais, à promoção do desenvolvimento regional e de investimentos de infraestrutura econômica.

O valor total do projeto é de R$ 1.959.400,00 e tem como principal objetivo a construção da sede da instituição batizado de CEITEC (Centro de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia), que é um dos itens do plano de governo da atual administração.

O CEITEC é um projeto que busca induzir e apoiar o empreendedorismo dos jovens na região, atuando por meio de sistema compartilhado (coworking) e fornecendo espaços físicos para universidades, empreendedores e pesquisadores, atuando como instituição que congrega e aproxima interesses. Com uma área mínima de construção de 500 metros quadrados, o espaço deve funcionar em um modelo semelhante ao de uma incubadora de empresa comum, mas com estrutura e custos de manutenção muito mais baixos do que os parques tecnológicos e as incubadoras de empresas.

“Outro diferencial é o foco nas empresas de tecnologia, principalmente as chamadas startups (empresas digitais que geralmente trabalham com aplicativos, softwares etc.), que não possuem uma grande demanda em termos de espaços físicos, encontram mão de obra qualificada no município e não exigem altas somas de recursos financeiros, além de serem uma atividade não poluidora”, observa o secretário de Desenvolvimento Econômico de Campo Mourão, Carlos Facco.

AMBIENTE FAVORÁVEL

Campo Mourão possui atualmente oito instituições de ensino superior, sendo duas universidade públicas, uma federal e outra estadual e as outras quatro na modalidade EAD. “Apenas no campo da engenharia são cinco os cursos disponíveis, sendo que apenas a UTFPR possui cerca de 3 mil alunos. Somada a um ecossistema de mais de 30 empresas de base tecnológica que já atuam com inovação, mais os cerca de 240 mestres e 160 doutores que residem no município, o ambiente para implantação do projeto tende a ser favorável”, explica Eduardo Akira Azuma, diretor geral da Secretaria de Desenvolvimento.

O CEITEC deverá abrigar cerca de 10 empreendedores, a Casa do Empreendedor para atendimento dos MEI’s, sala de reuniões e módulos para abrigar empresas júnior ou empresas incubadas. “A ideia é que a instituição atue como agente catalisadora, ou seja, aproxime e misture conhecimentos diversos da universidade, empresas e poder público, estimulando o empreendedorismo, oportunizando a vida do estudante egresso e dinamizando a economia do município”, ressalta Azuma.